Procure por conteúdos específicos:

Oportunidades que o período das águas traz para a pecuária de corte

Apesar dos efeitos positivos já conhecidos para o período das águas, é possível que o produtor se programe para que a época de chuvas traga mais benefícios além dos já esperados.

Procure por conteúdos específicos:

A época de chuvas no Brasil, compreendido entre outubro e março, é conhecido como o período das águas.  Essa fase é marcada pelas típicas temperaturas elevadas e maior luminosidade, o que contribui para que o pasto – quando bem manejado – cresça e se desenvolva, proporcionando maior produção de forragem por unidade de área com alto valor nutricional.

Esse fato gera grande expectativa entre os pecuaristas, afinal, o habitual é que seja observado um maior ganho de peso dos animais. Por outro lado, é possível realizar um planejamento visando alcançar o máximo de produtividade durante esse período.  

Planejamento

– Controle de plantas daninhas

Uma ação a ser planejada na estação chuvosa é o controle das plantas daninhas na pastagem. O início da estação chuvosa é o momento em que elas retomam o crescimento e, portanto, estarão em estádio vegetativo, época que aumenta a eficiência dos herbicidas. Então, programar esse controle e o seu consequente custo deve estar no roteiro.

– Cochos 

Um dos possíveis problemas do excesso de chuvas pode ser a consequente formação de lama no pasto – principalmente – em torno dos comedouros e bebedouros. Quando isso acontece, os animais podem apresentar dificuldades para alcançar essas infraestruturas, quadro que impacta no consumo de água e de suplementação. 

Uma das soluções para essa questão é o depósito de cascalhos em torno dos bebedouros e cochos no pasto ou até mesmo mudar o cocho de lugar. Essa manutenção se torna necessária pois permite o livre acesso dos animais a essas estruturas e contribui também para a saúde dos cascos. 

Periodicamente deve ser realizada a limpeza a fim de evitar a proliferação de microrganismos oriundos de restos de ração ou suplementos. A categoria animal e o tipo de suplemento utilizado, também devem ser considerados ao se realizar a construção dessa estrutura.

– Suplementação 

O uso do sal mineral já é prática consolidada nos rebanhos brasileiros, mas outras tecnologias superiores para suplementação animal podem incrementar o ganho de peso diário dos animais.

O desempenho dos animais pode ser potencializado no período das águas, porém é de suma importância que a suplementação nas águas seja planejada junto ao nutricionista da fazenda levando em consideração a forragem disponível para escolher a melhor estratégia de suplementação de acordo com a categoria animal a ser trabalhada, definir metas e calcular o custo-benefício do investimento.

As tecnologias avançam a todo momento quando se fala em pecuária e atualmente existe no mercado um sistema de gestão e que permite, via celular, que o pecuarista ou o colaborador, realizem um controle real da suplementação a pasto, tornando mais efetivo o processo de salga.

– Curral de manejos

Curral de manejos também merecem atenção já que problemas de drenagem e escoamento de água durante o período de chuvas, dificultam o manejo e expõe colaboradores e animais a riscos de acidentes. Portanto, as instalações devem passar por manutenção periódica para não comprometer o manejo e causar perdas produtivas. 

– Estação de monta 

O período de estação de monta no Brasil pode ser compreendido entre novembro e março. A duração da estação deve ser planejada de acordo com a realidade de cada propriedade, mas independente da duração, a estação de monta deve ocorrer no período das águas, onde há maior disponibilidade de forragem com alto valor nutricional. 

Dentre alguns benefícios ao se realizar esse manejo reprodutivo estão: aumento da eficiência produtiva das matrizes; bezerros nascidos em épocas com menor desafio ambiental, realização de manejos específicos com formação de lotes mais homogêneos já que os nascimentos estarão concentrados em determinada época do ano, desmama concentrada e seleção de animais improdutivos. 

Gestão em prática 

O período das águas deve ser visto como um período promissor para a produção de gado de corte. Os pontos citados acima demandam planejamento, coleta, registro e gestão de dados.

Quando adotado na fazenda, softwares de gestão pecuária se tornam um grande aliado do pecuarista em todas as etapas do sistema de produção!


Autoras:

Raquel Maria Cury Rodrigues. Zootecnista pela UNESP de Botucatu e especialista em Gestão da Produção pela UFSCAR. 

Ana Paula Caríssimo. Zootecnista Pós Doutora em Produção Animal – Comunicação Técnica Rúmina.

O que lemos para produzir esse artigo

PEDREIRA, B.C. Três dicas para manejo do pasto no início da estação chuvosa. Embrapa, 2020. Disponível em: <https://bit.ly/3sKBLJK>. Acesso em:  08 de fevereiro de 2022.

ZAIA, M. Chuvas na pecuária nem sempre são sinal de sorte. Pasto extraordinário, 2020. Disponível em: <https://pastoextraordinario.com.br/chuvas-na-pecuaria/>. Acesso em: 08 de fevereiro de 2022.

Onde mora o lucro dentro da fazenda?

Quer receber mais conteúdos para evoluir sua gestão de corte?
Assine nossa newsletter!

Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Bovitech

Veja Também: